O tipo de combustível é importante?

Ficar dentro de casa, com o corpo e alma quentes é o cenário ideal para os mais friorentos, a fim de escapar às temperaturas baixas que se fazem sentir no decorrer das estações frias.
No entanto, é necessário ter alguns cuidados para não pôr em risco o seu equipamento, sendo que, o tipo de combustível a utilizar é um deles.

Atenção aos gases tóxicos!

Os cuidados devem se redobrar, quando se trata de lareiras abertas, devido à queima de combustíveis, que são uma fonte de gases tóxicos. Tais como o monóxido de carbono.
O monóxido de carbono – CO – é um gás tóxico, invisível, sem cheiro ou sabor e que resulta de uma deficiente combustão, qualquer que seja o combustível utilizado: lenha, carvão, gás (butano, propano ou natural), entre outros. A sua presença no ar não é preocupante desde que em níveis baixos.

Tipos de iniciador de fogo

Chamamos de iniciador de fogo, ao produto que usamos para começar o lume. Este não serve de combustível para o manter aceso por muito tempo. São normalmente produtos ou lenha com muito poder calorífico. Assim sendo, temos vários tipos de iniciadores, tais como, pinhas, lenha de baixa densidade, briquetes, acendalhas e álcool gel acendedor.
Não aconselhamos o uso de álcool etílico ou gasolina para começar um fogo no seu equipamento, pois corremos o risco de inflamar o recipiente que contém o líquido.

O que não posso queimar?

Para poder usufruir da garantia do seu equipamento é essencial utilizar o combustível correto. Qualquer outra substância está rigorosamente proibida e a sua utilização poderá cessar a garantia do fabricante.

Não use o seu equipamento como incinerador! Não deve queimar materiais tais como: carvão, madeiras com tintas, vernizes, diluentes, combustíveis líquidos, colas e plásticos. Assim como deve também evitar queimar materiais combustíveis comuns, como cartão e palha.
Pouco se fala deste pormenor, mas muitos dos objectos impróprios queimados nas lareiras, ao formarem cinzas ou brasas podem ser arrastados pela ventilação da mesma e na saída para o exterior podem voltar a incendiar-se.

Combustíveis utilizados

O seu equipamento pode usar uma variedade de combustíveis:

  • Gás – Não causa sujidade, tem chamas realistas e quentes. Alguns modelos dispõem de sistemas para regular a intensidade do aquecimento.
  • Lenha – O mais tradicional e de baixo custo. Conta com um bom poder calorífico, no entanto necessita de espaço para guardar e causa um pouco de sujidade.
  • Pellets – Feitos a partir de materiais recicláveis. De fácil arrumação, económicos, assim como são também uma forma de combustível sólida limpa e pouco poluente. Além disso, os seus baixos níveis de humidade permitem uma ignição rápida.
  • Carvão – Não traz a beleza das chamas e causa sujidade. Mas consegue um maior número de calorias e a dependência de recarga é menor do que a madeira.
  • Electricidade – Não causa nenhuma sujidade. Funcionam como se tratasse de um aquecedor eléctrico e apresentam imagens tridimensionais da chama e dos troncos.
  • Bioetanol – Biodegradável e uma fonte de energia bastante amiga do ambiente. Não liberta fumo nem odores. Económico e garante o aquecimento por várias horas.

A consideração mais importante é garantir que o seu equipamento seja instalado profissionalmente. A instalação adequada é importante para a segurança bem como para garantir que está a obter, a eficiência térmica adequada.

A escolha do seu equipamento também está relacionada com o seu estilo de vida assim como espaço disponível para o instalar.

Encontre a melhor solução para si!

Os especialistas da Smartfire ajudam-no a encontrar a solução ideal para atender às suas necessidades, guiando-o pelo processo a cada passo do caminho. Ainda tem dúvidas? Entre em contacto connosco hoje e um dos experientes membros da nossa equipa encontrará a combinação perfeita para si e para o seu lar.

International customers please find us at www.smartfire.eu